Quinta-feira, 9 de fevereiro de 2023
Balneário Camboriú

Procon de Itajaí divulga pesquisa de preços de materiais escolares

A Procuradoria de Defesa do Consumidor de Itajaí (Procon) realizou na terça-feira (10) a pesquisa de preços dos materiais escolares básicos. A diferença entre os produtos de maior e menor valor foi de 179,39% neste ano. Tanto os itens mais baratos quanto os mais caros apresentaram aumento no valor em comparação com a pesquisa de 2022.

Foram pesquisados 23 itens básicos de materiais escolares em oito estabelecimentos da cidade. Entre eles: apontador, borracha, dois modelos de cadernos pequenos, caderno de desenho, dois modelos de caderno universitário, massa de modelar, canetas, cola, esquadro, cartolina, lápis de escrever e de cor, alguns modelos de papel, pincel, régua, tesoura e tinta guache.

O somatório dos itens de menor valor foi de R$ 61,87, o que representa um aumento de 25% em relação ao ano passado. Os produtos de maior valor também tiveram acréscimo nos preços em 2023 e totalizaram R$ 172,86. O dado corresponde a 24% de aumento no comparativo com a pesquisa de 2022. Confira a pesquisa completa no final desta página.

Recomendações do Procon

Para as compras de material escolar deste ano, o Procon recomenda a pesquisa de preços entre os estabelecimentos e também pela internet. O consumidor deve considerar ainda o custo benefício dos produtos, conforme o órgão de proteção. Outra dica é reaproveitar réguas, tesouras, borrachas e outros itens dos anos anteriores para economizar.

Ainda é possível organizar sebos entre os pais para troca e compra de itens usados, como livros. Conforme o Procon, outra dica é realizar compras coletivas, buscando melhores descontos com os estabelecimentos comerciais.

A Procuradoria de Defesa do Consumidor ainda alerta que a escola não pode exigir marcas de materiais, indicar estabelecimentos e nem deixar de fornecer materiais de uso coletivo. Além disso, os materiais solicitados devem ser utilizados para as atividades pedagógicas diárias do aluno em quantidade suficiente com o que será praticado durante o ano letivo.

Ocorrências de práticas abusivas podem ser denunciadas ao Procon, pessoalmente ou pelo WhatsApp (47) 8855-7811. O órgão fica localizado na avenida Joca Brandão, 655, no Centro.