Segunda-feira, 3 de outubro de 2022
Balneário Camboriú

Primeiro debate de presidenciáveis foi marcado agressões e farpas e poucas propostas para o país.

Assisti ao primeiro debate na TV, entre os candidatos a presidente organizado por um Pool de veículos de comunicação, entre elas a TV Cultura, da qual a TVC Panorama é afiliada, quero compartilhar minhas impressões. Acho que a senadora Simone Tebet e o ex-governador Ciro Gomes foram melhores, foram mais contundentes, provocaram bastante, inclusive o presidente Jair Bolsonaro e até conseguiram tirar ele do sério em alguns momentos do debate.

O presidente Lula ficou mais na retranca, jogando pelo empate e seu desempenho foi pior, do que na entrevista que ele concedeu  ao Jornal Nacional. O presidente Jair Bolsonaro foi mais agressivo, inclusive com Lula e acabou, na verdade, jogando contra ele próprio, aumentando aquela pecha que já tem de misógino, de não respeitar as posições e opiniões femininas, principalmente.

Na minha avaliação,  Lula agiu para tentar não aumentar seu grau de rejeição e já está olhando para um cenário de segundo turno.

Jogou na defensiva, em uma defensiva  e fez gestos para Simone e gestos para Ciro Gomes, ou seja, um candidato que prestou atenção estrategicamente no jogo que virá em seguida, dado que a eleição está muito polarizada e parece caminhar para o segundo turno.

Bolsonaro, por outro lado, jogou suas fichas, fez aquilo que sabe fazer muito bem, que, é o de ser contundente, autêntico, trazendo o posicionamento para o seu eleitorado, mobilizando este eleitorado e, em alguns momentos, inclusive passando do ponto, o que na minha avaliação pode aumentar a rejeição dele com o público feminino, que já é um público que tem lhe dado muito trabalho.

Se o objetivo era fazer com que os dois primeiros colocados conquistassem mais alguns votos e mais eleitores com esse debate, acredito que eles não conseguiram conquistar essa adesão de novos simpatizantes.

Lula manteve os seus e Bolsonaro falou para os dele, mas Simone e Ciro se colocaram à disposição do eleitor que não quer nem Lula, nem Bolsonaro e que segundo as pesquisas são 20% aproximadamente dos eleitores que estão em busca de um novo nome, uma nova opção de voto.

No geral, senti a falta de propostas para o futuro, tanto na economia, quanto em outros assuntos. Os candidatos deixaram de falar o que pretendem fazer de fato e com dados confiáveis,  para se concentrar em ataques entre eles. E neste aspecto, acredito que a candidata Simone Tebet pode ter ganho alguns pontos, porque ela foi assertiva, sem ser agressiva contra o presidente Bolsonaro e em menor medida em relação ao presidente Lula

Em síntese,  o  debate acabou mostrando e comprovando a grande  polarização que existe na disputa entre Lula e Bolsonaro para presidente e neste momento eu  acredito que não existe margem para tirar nenhum  dos dois de um eventual segundo turno desta eleição presidencial histórica e que ainda deve gerar muitas polêmicas e movimentações até a reta final no dia 2 de outubro.

 

Foto: Renato Pizzutto/Band