Segunda-feira, 3 de outubro de 2022
Balneário Camboriú

Operação Dignidade realiza abordagens em Camboriú

Ação, que é uma parceria das Secretarias de Desenvolvimento e Assistência Social e Obras e Polícia Militar, visa dar apoio e acolhimento às pessoas em situação de rua ou vulnerabilidade social

Abordar, acolher e cadastrar, esse é o principal objetivo da Operação Dignidade que aconteceu na tarde desta quinta-feira, dia 18, em Camboriú e abordou diversas pessoas em situação de rua. A ação é uma parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social, com equipes do Núcleo de Prevenção às Drogas, Busca por Desaparecidos e Combate à Pedofilia e de Abordagem Social, Secretaria de Obras e Polícia Militar, e visa dar apoio e acolhimento às pessoas em situação de rua ou vulnerabilidade social no município.

“A Operação Dignidade é uma realidade em Camboriú, pois as ações acontecem constantemente, em parceria com as instituições, e com isso conseguimos um mapeamento da situação no município, mesmo que essa população seja bem flutuante. É necessário esclarecer que o nosso objetivo é mostrar para estas pessoas que o município disponibiliza sim políticas sócioassistênciais de acolhimento e encaminhamento, no entanto, a adesão dos abordados é mínima”, enfatizou o secretário de Assistência Social, Edson Godinho Mafra Júnior.

A maioria das pessoas abordadas era oriundas de outros municípios e chegaram recentemente em Camboriú. De todas as pessoas abordadas, apenas uma aceitou o encaminhamento. Durante a operação foram recolhidos colchões, roupas, edredons, cobertores, puffs, mochilas e materiais para uso de entorpecentes.

Para o comandante da 3ª Companhia do 12º Batalhão de Polícia Militar, com sede em Camboriú, capitão Rafael Zancanaro, a ação é de grande valia para a segurança no município e desde o início da operação já foram abordadas e cadastradas 150 pessoas em situação de rua. “Somos e sempre seremos parceiros de ações que visem contribuir com a segurança do município. É um trabalho árduo, mas o fato de a operação acontecer constantemente no munícipio nos permite ter o mapeamento da situação, pois mesmo que a grande maioria não aceite o acolhimento, conseguimos identificar quem realmente necessita de assistência social e quem está irregular com a justiça”, ressaltou.